Marcadores

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Meus desenhos

Na postagem passada, falei um pouco sobre como comecei a desenhar, que o desenho sempre esteve presente em minha vida... Então, aqui vou colocar alguns dos meus desenhos feitos com pastel oleoso, começando com o desenho que fiz com 8 anos até os que fiz com 13 anos.



E, aqui estão alguns desenhos meus feitos com lápis de cor, no primeiro desenho eu tinha 6 anos e no último desenho postado, tinha 12.




Esse foi o desenho que fiz no meu primeiro concurso nacional de desenho, em 2000, quando eu tinha apenas 7 anos. Com ele, ganhei medalha de ouro. Participei desse concurso desenho pela escola de japonês até o ano de 2007. Tenho uma coleção desses diplomas e medalhas que ganhei. Está tudo bem guardadinho.



Em 2004 participei de um concurso internacional de desenho pela escola em que estava estudando, Externato Paraíso.

Egito


No Egito, o faraó era considerado o próprio deus encarnado. Todo mundo vivia e morria para ele. Tudo o que era criado, era pensado no faraó, principalmente em sua morte. Todas as ações do faraó eram pensadas em sua morte. Desde pequeno o faraó tinha que ter habilidade para calcular a cheia do Nilo. (O Nilo é o rio mais importante do Egito, era considerado um deus e até possui um Hino em sua homenagem).

Os egípcios observavam muito os astros. Dividiram o ano em 360 dias, 12 meses, 24 horas por dia, 60 minutos, 60 segundos, 4 estações do ano, deram o nome aos astros (zodíaco), criaram o ábaco, peso e medidas, iniciaram a medicina (mumificação e cirurgia de cérebro) e criaram a cerveja (de acordo com meu professor da faculdade, essa foi a melhor invenção deles. rsrs). Com isso é possível perceber quantas coisas nós herdamos dos egpícios.

A morte do faraó era sempre um ritual e esse ritual era todo aplicado na arte. A maior parte das imagens contam uma parte da vida dos faraós. Quando o faraó morria, era retirado seus órgãos e eles eram colocados em um pote que ficaria ao seu lado. Depois, mumificava seu corpo. O faraó possuía o Livro dos mortos, em que ele precisava decorá-lo para quando morresse, recitar para o deus Horus. Depois o Horus pesava o coração do faraó, e se ele fosse mais leve do que uma pena, ele vai para o vale dos mortos, mas se for mais pesado, sua alma fica vagando. Todos os bens materiais do faraó eram enterrados junto com ele na pirâmide, pois acreditam que quando o faraó conseguisse a vida após a morte - vale dos mortos, usaria todos os seus bens que estivessem junto dele. As paredes das pirâmides eram pintadas com cenas que retratavm as ações do faráo.

As pirâmides foram criadas para enterrar os faraós. A pirâmide tinha o formato triangular para que pudesse chegar mais perto do vale dos mortos.

As cores que representavam o Egito eram azul e amarelo. A cor azul era conseguida com o lápis lázuli, uma pedra muita rara e cara, mostrando que era uma cor preciosa e importante como o faraó. E a cor amarela representa o pder do deus mais poderoso, o sol - Há.



As pirâmides de Gizé são as pirâmides mais famosas. Suas posições foram muito bem calculadas.


Trabalhavam com a ideia da clareza, não trabalhavam com a ilusão. (Para os povos, até o Renascimento, tudo o que se falava sobre religião era algo real e verdadeiro. Apenas com o Renascimento que a religião passa a ser um mito).

A característica mais importante da arte egpícia é a LEI DA FRONTALIDADE: pés de lado, pé esquerdo na frente do direito, tronco de frente (mostrando peito e braçosrosto de perfil e olhos para frente.


O faraó sempre é representado bem maior do que as pessoas. Nas esculturas, todo homem é pintado de marrom, enquanto que as mulhres eram pintadas de branco. Essas cores não tinham nada a ver com a cor da pele, serviam apenas para diferenciar o homem da mulher. Apenas na escultura que tinham a noção da tridimensionalidade, mas mesmo assim a escultura ainda era dura, sem movimento, parecendo blocos de pedra.

Mesopotâmia


A palavra 'mesopotâmia tem origem grega e significa 'terra entre rios'. Diversos povos (babilônis, assírios, sumérios, caldeus, amoritas...) vão fixar entre os rios Tigre e Eufrates por causa da água. Esses dois rios eram assolados por cheias constantes, o que ajudava a terra ser mais fértil, possibilitando a agricultura nesse local. As pessoas começaram a criar barragens para diminuir o fluxo da água. Elas aprendem a fazer palafita usando madeira para elevar a casa.
Nesse local provavelmente existiram os Jaridins suspensos da Babilônia.


Pessoas acreditam que as primeiras navegações iniciaram nesse período.
A primeira lei escrita é derivada de um dos povos que habitou a Mesopotâmia, essa lei é chamada de Código de Hamurabi. A principal característica dela é fazer com que todo criminoso fosse punido de uma forma proporcional ao delito cometido.


As pessoas eram muito religiosos, eram politeístas (acreditavam em vários deuses, geralmente ligados à natureza).
Além de fazerem esculturas de pessoas, esculpiam muitos deuses, e o que os diferenciava eram os olhos beeem maiores que as esculturas de deuses possuiam. Esses olhos maiores das esculturas dos deuses mostrava que os deuses estavam no meio de todos e estavam sempre observando as pessoas, tinham um olhar vigilante.


Construiam templos de adoração para seus deuses petrificados. Esses templos chamavam-se zigurate. Foram construídos inicialmente pelos sumérios, babilônios e assírios. O centro dos zigurates era de tijolos queimados e a parte externa era de tijolos cozidos ao Sol. O acesso ao templo, situado no topo do zigurate, se fazia por uma série de rampas construídas no flanco da construção ou por uma rampa espiralada que se estendia desde a base até o cume do edifício.

Algumas fotos dos meus aluninhos

Essa foi minha primeira experiência dentro de uma sala de aula.

Eu sempre quis dar aulas, sempre sonhei com o momento em que eu estaria dentro de uma sala de aula tendo que transmitir e ensinar algo para meus alunos.
E pude ter essa oportunidade nesse primeiro semestre. Aprendi muitas coisas, foi uma experiência muito válida. Enlouqueci várias vezes... não foi muito fácil, tive momentos de desânimos. Mas apesar das dificuldades, é muito gostoso e prazeroso ver a evolução de cada aluno. É muito legal ver as crianças aprender a reconhecer, ler e escrever as vogais, as primeiras consoantes, ler as primeiras palavras. É divertido ver os trabalhinhos de ARTES prontos... as colagens, pinturas, esculturinhas de argila, massinha.

Claro que ainda tenho infinitas coisas pra aprender, pra melhorar, pra mudar, mas posso dizer que essa minha primeira experiência, confirmou mais ainda o que eu sempre pensei: ser professora, ou melhor, educadora, é a melhor profissão do mundo!

Aqui estão algumas fotos tiradas no primeiro semestre de 2011.